Laticínios podem provocar perda de cálcio dos ossos

O cálcio é muito importante para a saúde dos ossos, porém o mais importante é assegurar a sua fixação em vez de  simplesmente aumentar a sua dose diária.

A retirada de proteínas de origem animal da alimentação auxilia na retenção do cálcio, ainda mais se aliada à prática regular de uma atividade física e a manutenção dos níveis de vitamina D adequados ao corpo.

A acidez provocada pelo consumo de proteína animal presente nos laticínios faz com que o organismo busque no cálcio dos ossos o produto necessário para a alcalinização, podendo levar a perda deste mineral e uma consequente osteoporose. Essa acidificação também aumenta as mucosidades, o que não é aconselhável no caso de pessoas alérgicas ou que apresentam problemas respiratórios.

Em substituição, temos vários alternativas. Hoje, indicamos a receita livre de sofrimento animal, indicada pelo blog Dicuore,  onde Flávia Benedettino ensina o que usar no lugar do queijo ralado, numa alternativa cheia de sabor e com muito mais benefícios ao corpo, e que pode ser usado para polvilhar sobre qualquer prato ou adicionar a outras receitas.

Porém, devido ao elevado valor de selênio das castanhas do pará, usadas na receita, não é aconselhável consumir mais do que duas ou três por dia. Elas podem ser substituídas por castanha de caju ou amêndoas. O valor calórico dessas castanhas é alto e o seu consumo deve ser moderado.

Ingredientes e modo de preparação:

60 gramas de castanhas do pará ou do brasil (cerca de 16)
1 colher de café de alho em pó
1 + 1/2 colher  de sopa de levedura nutricional ou de cerveja
Sal a gosto
Colocar todos os ingredientes num processador de alimentos e triturar até as castanhas ficarem desfeitas.

Fonte:  Dicuore , Anda

2 comentários em “Laticínios podem provocar perda de cálcio dos ossos

  • 29 de junho de 2017 em 22:19
    Permalink

    Boa noite! Estou fazendo uma pesquisa a respeito do tema, porém não consigo encontrar muitos artigos que falam a respeito. Vocês poderiam citar alguns? Obrigada!

    Resposta
    • 30 de junho de 2017 em 13:20
      Permalink

      Karine, agradecemos o seu comentário. Vamos lhe enviar um email.

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *