Restaurantes vegetarianos em Portugal

1. Jardim dos Sentidos (Rua da Mãe d’Água, 3. 21 342 3670)

A cozinha do Jardim dos Sentidos é boa e variada. Todos os dias há propostas diferentes ao almoço, que podem ser consultadas na respetiva página.  O preço do buffet ao almoço é generoso: 8,90€, com direito a chá. À carta também não faltam opções interessantes, entre saladas coloridas e completas, chili mexicano, caril tailandês ou cuscuz marroquino. E sim, este jardim inclui um pequeno jardim, nas traseiras, que tem uma zona coberta.

2. Psi (Alameda Santo António dos Capuchos. 21 359 0573)

O espaço, pende para o bucólico — é uma espécie de tenda arredondada com um bonito jardim à volta, ao que consta inaugurado pelo Dalai Lama. Aqui, pelo contrário, talvez supere: o falafel em wrap, opção frequente ao almoço, é mais e melhor almôndega que certas almôndegas, rico em sabor e texturas, com ótimos acompanhamentos. Os pratos de tofu também merecem atenção: seja braseado à moda coreana, bem picante, salteado com manga, brócolis e molho de amendoim ou em caril. O menu semanal custa entre 10,90€ e 11,90€, com direito a sopa e bebida — não se serve álcool, que isso vai contra os princípios da casa, mas a limonada com gengibre, erva-príncipe, raiz de açafrão e mel é melhor que certos vinhos reputados.

3. Ao 26 (Rua Vitor Cordon, 26. 96 798 9184)

Bruno Ferraz, que na altura chefiava a cozinha — entretanto saiu — mostrou-me que uma bifana de seitan, desde que devidamente marinada tempo suficiente, neste caso com tomilho e alecrim, pode, de facto, transformar-se num produto alegremente comestível. O hambúrguer de beterraba quase passa, à pr

4.  Graça 77 (Largo da Graça, 77. 91 082 8612)

Muito bem decorado e um ótimo vegetariano de transição — as receitas imitam clássicos omnívoros, sem pejo em usar natas, queijos e afins (não é vegan, atenção) para enriquecer o sabor. Pondo as coisas numa regra de proporções: o que ali se serve está para o carnívoro como o hot roll para o iniciante ao sushi.

5. The Food Temple (Beco do Jasmim, 18. 21 887 4397), na Mouraria

A canadiana Alice Ming todos os dias inventa novos petiscos vegan que serve em pequenas doses, ideais para rodar e partilhar: saladas chinesas, arrozes, caris, noodles, estufados diversos…a criatividade é assinalável. E a popularidade também: arranjar mesa pode ser um cabo dos trabalhos, deve reservar-se com alguma antecedência.

6. No Princesa do Castelo (Rua do Salvador 64 A, 21 887 1263)

O chefe e proprietário indiano Nandan Bhoopalam — que também é instrutor de ioga — segue os princípios da dieta sátivca, com preocupações nutritivas e enérgicas. Felizmente isso é compatível com o sabor. O uso de especiarias é uma constante, pese os pratos do dia nunca se repetirem.

7. House of Wonders (Largo da Misericórdia, 53. 91 170 2428)

Fica em Cascais, e também é café, galeria de arte e rooftop, um dos chefes é sírio e isso nota-se na seleção de mezze (que no Médio Oriente designa pratos em pequenas doses, para partilhar) frios, em buffet, e quentes, que também vão mudando regularmente. Conselho: convém deixar espaço para as sobremesas, que podem ser cruas, vegan ou sem glúten e combinadas.

A matéria Vegnutri sobre o House of Wonders confira aqui.

8. Cafetaria do supermercado biológico Miosótis (Rua Latino Coelho, 89. 21 136 9849)

Há sempre um prato quente e uma salada completa, variada e muito bem temperada, além de sumos naturais de fruta e (boas) sobremesas sem açúcar.

9. Alfarroba (Rua Tomás Ribeiro, 28. 93 288 1545)

Os pratos do dia estão à vista, há simpatia a rodos, bolachas saudáveis para acabar a refeição e barras energéticas com sabor a queijo de figo para levar para casa.

10. Oásis (Rua Marquês Sá da Bandeira, 76. 21 809 5457)

Pode-se combinar duas ou três das sugestões diárias no mesmo prato. Às quarta-feira é dia de feijoada vegetariana.

Fonte: Observador Pt

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *