O perigo da pipoca de microondas

Um estudo feito pela Universidade de Minnesota (EUA) indica que o aromatizante que dá o sabor artificial de manteiga à pipoca de micro-ondas pode aumentar o risco da doença de Alzheimer.

Presente em alimentos industrializados, como pipocas, margarinas, temperos em pó do macarrão instantâneo, salgadinhos, bolachas, biscoitos, entre outros, o diacetil é responsável por conferir a todos esses alimentos o “sabor manteiga” e/ou “sabor queijo”.

Apesar de o diacetil ser produzido por micro-organismos pelo processo de fermentação e ser encontrado em vinhos, cervejas e produtos lácteos,  nos alimentos industrializados ele é utilizado na forma sintética. Substâncias sintéticas interferem nos processos naturais do organismo. Desse modo, muitas vezes acabam se acumulando e gerando efeitos indesejáveis na saúde. O diacetil é um composto orgânico volátil (VOC), portanto, é facilmente inalado por nós. A inalação constante de compostos como esse pode levar a sérios problemas de saúde.

O composto estimula o acúmulo das proteínas beta-amiloides, que ajudam a desenvolver o Alzheimer. Os pesquisadores descobriram que ele pode facilmente penetrar na chamada “barreira sangue-cérebro”, que impede que substâncias tóxicas entrem no cérebro. Além disso, o aromatizante também impediu uma proteína-chave (glioxalase), que protege as células nervosas, de chegar ao cérebro.

Quando diacetil estava ligada a danos pulmonares em trabalhadores de fábricas de pipoca de microondas, alguns fabricantes começaram a usar um ingrediente diferente. Mas uma nova pesquisa sugere que esse substituto, conhecido como 2,3-pentanodiona (ou PD), também é tóxica.

Nada melhor que fazer uma pipoca na panela, sem abusar na quantidade de óleo e sal e dar preferência ao milho orgânico, devido a transgenia da maioria dos milhos atualmente. Entre outros benefícios observados, a pipoca promove melhor funcionamento intestinal, já que uma única porção tem cinco vezes mais fibras, se comparada com a mesma quantidade, em gramas, de alface, por exemplo. Mas o efeito digestivo só acontece se o consumo for acompanhado de algum líquido, de preferência água ou suco, evitando os refrigerantes.

Fonte: Tabelanutricional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *