Plantas alimentícias não convencionais, as conhecidas PANCS

As Plantas Alimentícias Não Convencionais, mais conhecidas como PANCS, nada mais são do que verduras, hortaliças ou frutas que não temos o costume de consumir e que surgem de forma espontânea. “São plantas que se reproduzem mais facilmente, tolerando adversidades como a escassez de água, solos pobres e locais inóspitos”, explica a arquiteta e paisagista Elis Cristina, da Soul Verde.

Peixinho: suas folhas podem ser usadas fritas ou cozidas

Encontrar uma PANC por aí é mais provável do que podemos imaginar. Atualmente existem mais de 350 espécies catalogadas. E apesar disso, a especialista explica que o que hoje consideramos plantas não convencionais podem, em algum momento do passado, ter sido muito utilizadas por nossos avós. E por conta da perda desse costume elas entraram no grupo de PANC, o que não as impede de voltar a serem consideradas convencionais. “Além disso, pensando em um país como o nosso, com extensões continentais, a lista pode variar, porque nem sempre o que é convencional para os paulistas será para os capixabas, por exemplo”, comenta.

Ainda assim, não é tão fácil reconhecer uma PANC. Segundo Elis, é muito importante sempre pesquisar em materiais de confiança os nomes científicos das plantas, já que os nomes populares podem variar de região para região e causar certa confusão. “Em caso de dúvida, o ideal mesmo é não consumir e consultar um especialista”, ela indica. Além disso, ainda segundo a arquiteta, ser uma PANC não significa, necessariamente, que ela pode ser consumida por inteiro. É importante saber quais partes são comestíveis.

Ora pró nobis: as folhas são usadas cruas ou cozidas

“Existem também aqueles que consideram PANC as partes de plantas convencionais que não temos o hábito de consumir. Como é o caso da batata doce, cuja raiz estamos acostumados a consumir, mas as folhas também são comestíveis quando cozidas”, conta.

Taioba: as folhas e talos podem ser consumidos cozidos e refogados

“Esse grupo engloba uma grande variedade de espécies vegetativas, desde árvores, até frutíferas, folhagens e hortaliças”. Ela ainda lembra que, por conta da sua grande variedade, cada espécie vai demandar uma quantidade de iluminação, rega e sombra. “Elas podem se propagar melhor por meio do plantio de sementes ou da reprodução de mudas, por exemplo”.

Azedinha: suas folhas podem ser usadas em sucos e saladas

Como consumir: Existem PANCS que podem ser consumidas cruas, como consumimos alface ou rúcula. Algumas ficam com paladar mais agradável quando processadas e, outras, só podem ser ingeridas depois de cozidas. O importante é  pesquisar e se informar antes do consumo. Muitas feiras orgânicas vendem PANCS e essa é uma das melhores formas de conhecer novos alimentos e valorizar o produtor rural.

Fonte: Casa Vogue

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *