Cinco marcas de tapioca são reprovadas

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Com fama de saudável e amiga da dieta, a tapioca, alimento de origem indígena, se tornou indispensável na mesa de muita gente que busca levar um estilo de vida melhor. Entretanto, um teste recentemente realizado pela Proteste Associação de Consumidores avaliou 9 marcas diferentes e descobriu que quem consome o alimento pode estar ingerindo sódio e conservantes em excesso, além de bactérias.

A Proteste avaliou as marcas de tapioca Akio, Sabor da Paraíba, Taeq, Cisbra, Chinezinho, Paraibinha, Da Terrinha, Pantanal e Beijubom. Os testes foram feitos levando em conta o teor da umidade da farinha, a presença de glúten e a análise de microrganismos.

No quesito higiene, foram verificados bolores, leveduras e coliformes fecais, entre outras alterações. Por fim, foi verificada a rotulagem – se estava completa e nutricionalmente satisfatória para constatar, por exemplo, a adição de sal e conservantes.Paraibinha, Da Terrinha, Pantanal e Beijubom.

Marcas aprovadas para o consumo

Considerando os testes e análises descritos, os produtos mais bem avaliados pela Proteste foram as tapiocas das marcas Paraibinha, Da Terrinha, Pantanal e Beijubom.

Marcas de tapioca recomendadas pela avaliação da Proteste
Marcas de tapioca recomendadas pela avaliação da Proteste

Marcas reprovadas

Já os produtos das empresas Akio, Sabor da Paraíba, Taeq, Cisbra e Chinezinho não são recomendados para compra segundo a Proteste.

Marcas de tapioca não recomendadas pela avaliação da Proteste

Por que foram reprovadas?

Bactérias

Nas farinhas de tapioca das marcas Taeq e Cisbra foi identificada uma quantidade de bactérias maior que o permitido em lei, característica que pode causar infecções alimentares.

Sódio

A farinha Akio tem 36,7 mg de sódio a cada 100 gramas de produto, de acordo com a Proteste, enquanto Taeq tem 12 mg a cada 100 gramas. Ambas estão acima da quantidade considerada tolerável para este alimento.

Higiene

Taeq, Cisbra, Akio e Sabor da Paraíba foram as marcas que se saíram pior na análise de higiene, sendo que as duas primeiras marcas apresentaram bactérias acima das quantidades permitidas.

Falta de informações no rótulo

Taeq, Cisbra, Pantanal e Chinezinho não informam, de forma clara e de fácil compreensão, se o alimento está pronto para consumo ou semipronto.

Só as marcas Akio, Da Terrinha, Sabor da Paraíba e Pantana citavam o número do lote e o modo de conservação do produto, principalmente depois de aberto.

A lista de ingredientes é outra informação que deve constar do rótulo. Neste caso, por se tratar de um produto hidratado, a água é um item obrigatório. No entanto, ele não estava descrito na embalagem da Beijubom.

A marca Paraibinha apresenta um texto muito pequeno, quase imperceptível, além de citar na lista que apresenta “fécula de mandioca especial” (termo que não existe no mercado).

Você sabia?

Diabéticos ou pré-diabéticos não devem exagerar no consumo do produto, porque o índice glicêmico (velocidade com que a glicose é absorvida pelo organismo) da tapioca é alto, maior do que no pão branco e no integral.

Diante do aumento do consumo da goma (como é conhecida a tapioca), você pode estar colocando no prato uma tapioca adicionada de sal e conservantes sem necessidade.

Vale lembrar que a hipertensão arterial, uma das principais doenças relacionadas ao consumo de sódio e sal, atinge cerca de 25% da população brasileira adulta. E é responsável por 40% dos infartos, 80% dos derrames e 25% dos casos de insuficiência renal.

Os outros conservantes usados na maioria dos produtos não fazem mal à saúde. Porém, a adição deveria justificar uma validade maior dessas marcas nas prateleiras, o que nem sempre acontece na prática.

Fonte: Site Vix e Proteste

2 comentários em “Cinco marcas de tapioca são reprovadas

  • 11 de agosto de 2016 em 14:06
    Permalink

    Muito interessante e importante estas comparacoes!

    Resposta
    • 11 de agosto de 2016 em 21:21
      Permalink

      Agradecemos seu comentário,Vanda.

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *