Eduardo Jorge, candidato a vice presidência e defensor da causa animal

Eduardo Jorge, médico e vice da candidata à presidência Marina Silva, fez um discurso em uma Convenção Nacional do Partido Rede Sustentabilidade quando foi confirmada a candidatura de Marina. Simpático à causa pelos animais, ele afirmou que é um ato revolucionário ter uma postura pelo preservação do planeta:

“A revolução industrial que o capitalismo e o socialismo comandaram trouxe benefícios, não há dúvida que trouxe, mas também por não terem a consciência de um fato essencial que fomos nós, no conjunto de toda aquela rebelião de juventude das décadas de 68, 69, 67, que veio junto com a revolução da independência da mulher, apareceram profetas, poetas, santos, cientistas, que apontaram o fato que o capitalismo e o socialismo não se atentaram, e perante o qual eram irmãos siameses, os recursos da Terra são finitos. Essa é a ideia mágica que apareceu na década de 60 e criou um movimento que vai mudar a forma de viver no mundo, está mudando e vai mudar! […] o movimento ambientalista […] vieram para mudar, reformar completamente a forma como o capitalismo e o socialismo organizaram a vida no mundo. […] Ninguém pode ser o mensageiro da revolução ambiental se não fez a revolução humana dentro de si.”

Ele incentivou o vegetarianismo e o veganismo e complementou condenando a exploração dos animais :

“O que deve haver entre nós (entre os ecologistas e os agricultores) é um casamento, um pacto, pelo futuro, pela saúde do planeta e das nossas famílias: a agricultura agroecológica. E cada vez mais eles vão se convencer disso […] Já há espaços no mundo que tem prazo para tirar o veneno da comida, e isso vai chegar no Brasil, eles sabem […] portanto, há espaço para esse diálogo, à alimentação segura, saudável, de preferência vegetariana e vegana, essa é a tendência de mudança revolucionária no mundo, não só por causa da nossa saúde, mas por causa da saúde do planeta e porquê não se admite mais que escravos de outras espécies fiquem sofrendo para produzir alimentos quando já há segurança na produção completa para abolir a escravidão dessas espécies que convivem conosco. Abolicionismo Animal! Eles têm direito à terra, ninguém disse que eles estão aqui para ser escravos nossos, e serem torturados diariamente para colocar um pedaço de carne na mesa, não precisa! […] Essa é a nova forma de viver, e essa nova forma de viver vai exigir novas formas institucionais de organizar a sociedade!”

Da mesma forma que houve a abolição do trabalho escravo humano, haverá, no futuro, a abolição do trabalho escravo desses companheiros nossos aqui na terra (dos animais).

 

O canal Vegflix fez uma entrevista com o vice de Marina Silva, Eduardo, que compartilhamos, a seguir:

Fonte: Vegpedia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *