Mácaras e descartáveis são causas de mais lixo nos oceanos

Os animais estão sendo vítimas do lixo criado durante a pandemia. Muitos ficam presos nos elásticos das máscaras deixadas pelo chão, obrigando à intervenção de brigadas de resgate animal.

Por isso, a Sociedade Real para a Prevenção da Crueldade contra Animais (RSPCA) – uma organização britânica, aproveitou o mês de sensibilização para a recolha do lixo em Inglaterra para apelar a que não se deixe o lixo na rua.

Especialmente numa altura em que mais animais ficam presos em lixo, como as máscaras. Recordando o exemplo de uma gaivota que foi ‘apanhada’ pelos elásticos de uma máscara. A ave, que ficou com as pernas inchadas, já se recuperou, informou a organização.

No entanto, a RSPCA alerta para a necessidade de se cortarem os elásticos das máscaras, antes de se colocarem no lixo. Também defende que se cortem as luvas descartáveis.

Desde que o confinamento começou que esta associação socorreu mais de 900 animais que ficaram presos ou sofreram ferimentos por causa do lixo, que não é colocado corretamente nos contentores.

No Brasil, a maioria das pessoas usa máscaras de tecido no dia-a-dia, mas ainda assim, devemos, no caso das máscaras de proteção, ficar atentos ao descartar tanto as de tecido como as descartáveis.

Fonte: Sabado.pt

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *