Menina de 8 anos faz cobertores para cães e gatos de abrigo

Emma Heffner, de oito anos, sempre amou os animais. Kelly, sua mãe, disse às instituições de caridade PetSmart que Emma fala “sobre querer ser uma médica de animais desde que tinha três anos. Seu coração é infinito quando se trata de animais”.

Por isso, quando a menina descobriu a página do Facebook do Baltimore Animal Rescue and Care Shelter (BARCS), um abrigo para animais sem fins lucrativos, não foi nenhuma surpresa que instantaneamente tenha se afeiçoado aos cães e gatos.

Emma ficou apaixonada por Miracle Molly, uma pit bull abandonada que sobreviveu após ser atingida por um trem Amtrak em janeiro de 2016. Felizmente, um policial tirou a cadela ferida dos trilhos e a levou para o BARCS imediatamente para receber cuidados médicos.

Emma acompanhou constantemente a história de Molly e sua recuperação e, finalmente, a adoção da cadela pelo policial que salvou sua vida. Como a família já cuida de um gato e dois cães resgatados, adotar outro animal não era possível, mas ainda assim, Emma quis ajudar.

No Natal, ela fez cobertores para dar de presente para amigos e familiares. Um dos cachorros da família se debruçou em um dos cobertores e ela teve uma ideia genial.

A menina perguntou à mãe se poderia fazer cobertores para cães e gatos que moram no BARCS. E assim começou a missão de “Cobertos de amor” de Emma.

Ela quer que todos os 300 cães e gatos acolhidos pelo BARCS tenham um cobertor aconchegante e quente. Os cobertores são encaminhados juntamente com cada cão ou gato quando são eles adotados. Até agora, Emma já entregou 40 cobertores feitos à mão.

Emma conseguiu a ajuda de familiares e amigos para produzir mais cobertores e também está arrecadando dinheiro para cobrir as despesas do tecido, vendendo cobertores com animais impressos aos apoiadores.
“Os animais não têm um lar e vivem em gaiolas. Não conseguem sentir o amor das pessoas o tempo todo e não têm nada”, disse Emma.

Bailey Deacon, um porta-voz do BARCS, disse que os cobertores fornecem calor e aconchego aos cães e gatos e, às vezes, até mesmo uma primeira sensação de como será viver com uma família.

“Emma sempre teve o maior coração. Ela é tão cheia de vida e amor e estamos incrivelmente orgulhosos dela”, disse a mãe da menina.

Fonte: Anda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *