Você sabe a diferença entre cosmético vegano, cruelty free, natural e orgânico?

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Há tempos tem se falado muito sobre dieta vegetariana, que exclui carnes e alimentos derivados de animais. Famosas como a modelo Yasmin Brunet começaram a divulgar o tema nas redes sociais e em entrevistas. Há ainda quem vá além e segue o veganismo, como a apresentadora Luisa Mell, e, além de não ingerir, também não usa itens de moda, como roupas de couro e pele, e beleza, que inclui maquiagem, creme etc, feitos com matéria-prima animal.

Esse movimento consciente tem refletido muito no mercado de cosméticos. No ano passado e início deste ano surgiram duas novas marcas no Brasil que seguem esta linha: a BAIMS, da empresária Luisa Baims, que é vegana, cruelty free, orgânica e natural, e tem a apresentadora Alana Rox como embaixadora e a Simple Organic, cuja fundadora foi a empresária Patricia Lima, com as mesmas características, mas há ainda muitas dúvidas sobre a diferença dos termos vegano, cruelty free, orgânico e natural.

VEGANO E CRUELTY FREE

Luisa Baims diz que o cosmético vegano é livre de ingredientes animais ou derivados de animais. “Isto inclui mel, cera de abelha, lanolina, colágeno, albumina, carmim, gelatina e muitos outros.” Já o cruelty free não é testado em animais. A especialista afirma que cosméticos cruelty free não são necessariamente veganos e vice-versa. “Para muitos o termo vegan significa que um produto é livre de testes em animais, mas não é bem assim. Muitas vezes ele é somente usado para declarar que um produto não contém ingredientes animais, mas podem ter ingredientes que são testados em animais”, explica.

Ela diz que é sempre importante ficar atenta aos selos nas embalagens dos produtos. “Assim como existem organizações que fornecem selos de certificação cruelty free, também existem as certificações para produtos vegan e cruelty free, como o selo da Vegan Action, Vegan Society e a Sociedade Brasileira Vegetariana.”

A Lush e Urban Decay, por exemplo, são cruelty free e tem uma linha de produtos também veganos. Já a Surya Brasil e a Feito Brasil – vendida na Sephora – têm todos os produtos veganos e não testam em animais. Natura, Océane e Korres são algumas marcas cruelty free.

NATURAL E ORGÂNICO

Luisa diz que uma confusão comum é achar que um cosmético vegano é natural ou orgânico. Mas ela explica que itens veganos podem ter uma composição não natural e com químicas.

Ela esclarece ainda que um cosmético natural não é necessariamente orgânico. “O natural não contém parabenos, fragrâncias ou corantes artificiais, derivados de petróleo, silicones e outros ingredientes. Pode ter um pequeno percentual de ingredientes sintéticos na sua composição e pode, mas não tem que ter, ingredientes orgânicos em sua fórmula”, explica.

Já o orgânico, além de ter uma fórmula natural, possui um percentual mínimo de ingredientes provenientes da produção orgânica. “Ou seja, livres de agrotóxicos, organismos geneticamente modificados, adubos sintéticos, que estão ligados a diversos malefícios para a saúde e para a natureza.” Algumas exemplos de marcas orgânicas são a Weleda, que é também cruelty free e traz uma gama de produtos veganos, a Souvie e a Caudalie, e Natura produz todos os seus perfumes com álcool 100% orgânico.

Assim como acontece com os cosméticos veganos e cruelty free, os orgânicos e naturais também podem ser certificados. “A certificadora francesa Ecocert fornece um selo para produtos naturais e um selo diferenciado para os orgânicos.”

Fonte: Revistamarieclaire

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *