“As pessoas sabem que a gente está com a razão’, diz Luisa Mell sobre o veganismo

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

No último dia 7 de setembro, o “Programa do Porchat” recebeu a apresentadora e ativista Luisa Mell para uma entrevista acerca de sua vida pessoal e profissional. No palco, Mell comentou que é vegana e que, por isso, já sofreu vários tipos de discriminação por ser protetora dos direitos animais.

A apresentadora relatou ainda que já teve uma série de discussões com proprietários de indústrias que consomem carnes e outros produtos que ocasionem “danos ou sofrimento aos bichos”.

“Muita gente me odeia, eu sei. No fundo, as pessoas sabem que a gente está com a razão. Quando você começa a falar, elas percebem que não é uma bobagem atrás da outra. Hoje em dia, cada vez mais as pessoas lidam com pets e desenvolvem esse amor, o cachorro vira um membro da família. De alguma maneira, ela se sente constrangida por saber que milhões de cachorros estão sendo submetidos a testes cruéis para um novo batom ser lançado”, declarou Luisa.

Luisa disse ainda sobre a dificuldade de mudar os conceitos diante da força dos vários segmentos comerciais que exploram os animais. “É muito difícil mudar, a gente vive numa sociedade que a indústria alimentícia, de cosmético e vestuário é bilionária e não quer deixar falar muito sobre isso. Os animais são explorados por todos os setores”, revelou.

Luisa Mell também relatou a respeito da briga que teve com políticos e empresários. “Lá no Congresso, no ano passado, quando fui brigar pela vaquejada, eu falei que todos os deputados ali estavam comprados pela indústria que explorava animais. Eles me xingaram, disseram que eu era mentirosa, que era para eu provar. Não precisei provar porque depois o próprio Joesley [Batista, um dos sócios da JBS envolvido na Operação Lava Jato] provou por mim”, disse a mesma.

Sobre a questão do meio ambiente, ela afirmou que “mudaram a Constituição para aprovar a vaquejada. A gente tem uma bancada ruralista que manda no país, por isso a Amazônia está sendo destruída também e a gente não consegue fazer nada sobre o assunto. Eu falo, grito, esperneio, choro, mas não estou conseguindo mudanças efetivas em relação ao meio ambiente”.

Quando questionada acerca do preço que se paga com relação a alimentação para ser uma pessoa vegana, Luisa então disparou: “Dá para um pobre ser vegano. Já viu quanto você gasta na feira e quanto gasta no açougue? Alguns produtos industrializados são mais caros porque o público que consome é menor, precisa ser produzido em larga escala para ficar mais barato. Mas você pode fazer sua dieta vegana sem esses produtos industrializados. É até mais saudável”, explicou ela.

Sobre a gravidez, a ativista relembrou que na época em que Enzo, de agora dois anos, estava em seu útero foi bastante massacrada pelo fato de não comer carne, e ainda falou que o filho tem mais saúde do que qualquer outra criança de sua idade, por também ser vegano. “A minha gravidez foi perfeita, maravilhosa, com 40 semanas certinhas. O que era teoria para mim foi comprovado na prática. Não só ele como com outras crianças veganas”, relatou.

Fonte: Famosos na web

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *