Deficiência de vitamina B12 : o que você deve saber

No mundo da alimentação saudável, uma das deficiências nutricionais mais frequentes é a de vitamina B-12. É especialmente comum entre os vegetarianos e veganos, mas é surpreendentemente comum entre os carnívoros também. Por quê?

A vitamina B-12 é absorvida somente no intestino delgado, e para isso requer uma glicoproteína produzida pelas células parietais do estômago e glândulas salivares chamada de fator intrínseco, que se dissolve ao chegar no intestino, permitindo que a B12 seja absorvida no duodeno. Quando esse processo não ocorre corretamente sua absorção é diminuída.

Especialistas sugerem que cerca de 60% da população pode ser deficiente em vitamina B-12. Uma série de sintomas de saúde aparentemente “misteriosos” podem ter uma simples causa comum; deficiência desta vitamina !

Entre dos sintomas mais comuns estão dor no peito ou falta de ar, fadiga ou fraqueza inexplicável, tonturas, problemas com o equilíbrio e desmaios, confusão, perda de memória ou demência, frieza, dormência ou formigamento nas mãos e nos pés, reflexos lentos e função do sistema nervoso diminuída, pele pálida ou amarelada e feridas na boca e na língua.

A deficiência de vitamina B12 é muitas vezes perdida por duas razões. Em primeiro lugar, não é rotineiramente testada pela maioria dos médicos. Em segundo lugar, a extremidade inferior da faixa de referência de laboratório é demasiadamente baixa.

É por isso que a maioria dos estudos subestimam os verdadeiros níveis de deficiência. Muitas pessoas com carência de vitamina B12 têm os chamados níveis “normais”. No entanto, é bem estabelecido na literatura científica, que as pessoas com níveis de B12 entre 200 pg / ml e 350 pg / mL – níveis considerados “normais” – têm claros sintomas de deficiência de B12.

Alguns especialistas em diagnóstico e tratamento da deficiência de B12, sugerem o tratamento de todos os pacientes que sejam sintomáticos e apresentem níveis de vitamina inferior a 450 pg / mL.

Eles também recomendam o tratamento de pacientes com B12 normal, mas com nível elevado de ácido metilmalonico urinário (MMA), homocisteína e / ou holotranscobalamina (outros marcadores de deficiência de B12).

No Japão e na Europa, o limite inferior para B12 é entre 500-550 pg / mL, o nível associado com manifestações psicológicas e comportamentais, tais como declínio cognitivo, demência e perda de memória.

Alguns especialistas têm especulado que, no Japão, a aceitação de níveis normais mais elevados e a disposição de tratar os níveis que são considerados “normais” nos EUA, explicam as baixas taxas de doença de Alzheimer e demência naquele país.

Em geral, os seguintes grupos estão em maior risco para a deficiência de vitamina B12: vegetarianos e veganos, pessoas com 60 anos ou mais, pessoas que usam regularmente IBP ou drogas supressoras de ácido, pessoas em uso de medicamentos para diabetes, como a metformina, pessoas com doença de Crohn, colite ulcerativa, doença celíaca ou SII, mulheres com história de infertilidade e aborto.

O que é B12?

A vitamina B12 atua na síntese de ADN, tem papel importante no funcionamento do cérebro, do sistema nervoso e contribui para a formação dos glóbulos vermelhos no sangue. É essencial para a saúde do coração pois ajuda na quebra da homocisteína, um aminoácido associado a doenças cardiovasculares. O corpo humano não produz esta vitamina tão necessária para o funcionamento metabólico perfeito.

A maioria das pessoas busca complementar sua vitamina B-12, utilizando suplementos nutricionais. Mas isso pode dar errado.

A forma comumente disponível de vitamina B-12 no mercado é a forma sintética que está ligada a uma molécula de cianeto (sim, cianeto, o veneno). É chamada de cianocobalamina, e você vai encontrá-la em todas os multivitamínicos baratos feitos por empresas farmacêuticas e vendidos em supermercados e grandes lojas.

“A forma sintética comum da vitamina, cianocobalamina, não ocorre na natureza, mas é usada em muitos produtos farmacêuticos e suplementos, como um aditivo alimentar, por causa do seu baixo custo. No corpo é convertida para as formas fisiológicas, metilcobalamina e adenosilcobalamina, deixando para trás o cianeto … “

Para se livrar do cianeto residual, o corpo precisará utilizar grupos metil que são necessários para diversas outras atividades, portanto ao utilizar a cianocobalamina você estará não só ingerindo o cianeto, que é tóxico, mas também “roubando” grupos metil do organismo, podendo até piorar seu estado geral de saúde em vez de melhorá-lo.

Resumindo, a cianocobalamina é um produto de baixa qualidade, baixo rendimento e, além disso, tóxico. É melhor evitá-lo, ainda mais tendo uma opção muito superior: metilcobalamina.

O tipo de certo de B12

A melhor escolha é a metilcobalamina

A forma adequada de vitamina B-12 é chamada metilcobalamina, que existe na natureza e é pré-metilada, significando que não precisa retirar grupos metil do corpo e está pronta para uso imediato do organismo.

Metilcobalamina tem várias vantagens importantes em relação cianocobalamina:

Aumento da absorção
Melhor retenção em tecidos
Não contém cianeto tóxico
Suporta a produção de SAMe

Estudos japoneses indicam que a metilcobalamina é ainda mais eficaz no tratamento de sequelas neurológicas a deficiência de vitamina B12, e que pode ser melhor absorvido porque evita problemas potenciais em vários ciclos de absorção da vitamina B12.

Sobre isso, a metilcobalamina fornece o corpo com grupos metil que desempenham um papel em vários processos biológicos importantes para a saúde global.

Fonte: Pura Vida / verdademundial.com.br

2 comentários em “Deficiência de vitamina B12 : o que você deve saber

  • 17 de agosto de 2016 em 13:39
    Permalink

    Onde encontro esse tipo certo de b12?

    Resposta
    • 17 de agosto de 2016 em 19:32
      Permalink

      Luana, o ideal é consultar um nutricionista ou nutrólogo para fazer exames e para que o profissional lhe indique a melhor opção.

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *