Entrevista com Mafalda Rodrigues em “um mundo de cores e sabores”

A nutricionista portuguesa e mestre em Políticas Alimentares, Mafalda Rodrigues de Almeida, autora do blog Loveat, diz que adora cozinhar, comer e viajar. Um de seus livros, “Superalimentos – Refeições com mais vida”,  é sucesso em Portugal e destaca a importância da inclusão de alimentos como sementes de chia, beterraba,  feijão azuki e couve bok choy, entre vários outros, na alimentação, trazendo explicações detalhadas sobre cada um, ajudando o leitor a conseguir fazer uma lista de compras e receitas para as várias refeições do dia e possibilitando a composição de uma alimentação mais saudável, saborosa e funcional.

Confira mais nesta entrevista exclusiva:

Vegnutri: Desde quando começou o seu interesse pelo mundo da cozinha e da alimentação? Conte-nos um pouco sobre a sua relação e a sua trajetória neste “mundo de cores e sabores”.

Mafalda: Lembro-me de, com cerca de 8 ou 10 anos, por a gravar todos os programas da Martha Stewart enquanto estava nas aulas. Assim que chegava a casa ir ver e ficava encantada. O mesmo com outros profissionais da área como Jamie Oliver e Nigella Lawson. Aquilo que sempre quis seguir profissionalmente era veterinária. No entanto, a minha paixão sempre foi a alimentação saudável, a cozinha, e a nutrição. Tinha que seguir essa paixão porque sempre acreditei na máxima de que se fizermos o que realmente gostamos não teremos de trabalhar um único dia.

Vegnutri: Ainda na universidade, você começou a reunir receitas para a publicação do livro “Gourmet em Casa”. Como foi essa sua primeira experiência como autora, desafios e o retorno de suas experiências gastronômicas já nessa época?

Mafalda: A minha primeira experiência com o livro foi um turbilhão de emoções. Gostei imenso de fazer o livro e ver publicadas as receitas que, há tanto tempo, havia juntado. Tive imenso apoio por parte da família e amigos e vi o meu trabalho como nutricionista e blogger crescer muito nessa fase. No entanto tinha um ponto de vista de trabalho diferente do da editora com a qual estava a trabalhar e isso acabou por fazer com que nos fossemos afastando e acabasse por trabalhar com outra editora para o 2º livro.

Vegnutri:  Sendo nutricionista, você também começou a ser procurada por pessoas interessadas em alimentação e receitas. Foi a partir daí que se desenhou o projeto do Loveat? Quais foram os seus objetivos com este espaço virtual?

Mafalda: Sim, o Loveat começou de uma necessidade de partilhar com as pessoas as receitas que eu experimentava e gostava e de ajudar a dar respostas às inúmeras perguntas que recebia. Recebia constantemente as mesmas perguntas sobre mitos da alimentação ou sobre que ingredientes eram mais saudáveis ou se a soja era segura. Perguntas do dia-a-dia, perfeitamente normais e sobre as quais todos nós nos questionamos. O blog ajudou-me a partilhar essas informações e acabou por me tornar mais exigente e criativa. Com os workshops tenho tido muitos feedbacks sobre as dúvidas que as pessoas têm, que receitas procuram, quais são os seus principais desafios, como cozinhar determinados ingredientes etc… Tem sido uma caminhada muito boa, que tem evoluído bastante com o aumento do envolvimento de quem lê o blog.

Vegnutri:  No Brasil, percebemos um gradativo aumento em relação ao interesse das pessoas em se alimentarem melhor, em optar por produtos orgânicos e saber a procedência do que comem. Em Portugal e na Europa de forma geral, também existe um movimento nesse sentido? Conte-nos um pouco.

Mafalda: Em Portugal nota-se muito essa tendência. Nunca esteve tão na moda cozinhar de forma saudável, ser ativo, fazer exercício físico, estar ao livre, enfim, tudo o que envolva uma vida mais saudável. Sou defensora de que a alimentação é a nossa base, a forma como nos alimentamos representa a forma como tratamos a nós mesmos. O nosso corpo é a nossa casa, se não o tratarmos bem, não nos podemos queixar que ele comece a falhar. Como tenho alguns problemas digestivos, noto isto em primeira mão. Sempre que como bem e respeito o meu corpo e aquilo que sei que lhe faz bem sinto-me mais bem disposta e com mais energia. Quando descuido a minha alimentação, como menos sopa ou fruta, noto logo menor capacidade de concentração, menos energia, mais preguiça. É um ciclo vicioso. E acho que esta perspectiva tem entrado no pensamento de muitas pessoas a nível global. É por isso que sentimos necessidade de contrariar os maus hábitos.

Vegnutri: Ainda sobre essa questão, qual a importância de aproximar os consumidores destes conhecimentos sobre estilo saudável, nutrição e cuidados com o corpo e os alimentos que ingerem diariamente?

Mafalda: De uma forma geral uma alimentação saudável é comer três a cinco porções de frutas e legumes por dia, praticar uma alimentação maioritariamente vegetal, evitar açúcares e gorduras etc… Para mim, além de tudo isto, uma alimentação saudável tem que ser funcional. Ou seja, deve ainda respeitar os sinais do corpo e deve servir para nos fortalecer e permitir a prevenção de doenças. Os antioxidantes estão por todo lado na nossa alimentação, desde que ela seja equilibrada e tenha uma base vegetal. Por isso é muito fácil a alimentação tornar-se funcional. Se comermos bastantes legumes e frutas e evitarmos gorduras saturadas, açúcares refinados e alimentos processados, conseguimos tirar o máximo partido desses antioxidantes, permitindo que eles reforcem o nosso sistema imunitário em vez de estarem constantemente a combater o estresse oxidativo que estes alimentos nocivos lhe provocam. Apesar de não ser fundamentalista nas restrições, acho que devemos manter uma alimentação o mais equilibrada possível para que a possamos considerar saudável.

Informar os leitores sobre esta perspectiva é afastar-me da tendência das dietas de verão ou inverno e tentar educar as pessoas para uma alimentação funcional e consciente de forma diária. É, no fundo, fazer ver que a alimentação é mais importante e influente do que estamos habituados a pensar.

Vegnutri:  Você participa de workshops voltados à alimentação vegetariana. De forma geral, como você analisa a importância de consumirmos alimentos livres do sofrimento animal?

Mafalda: Defendo que a alimentação diária deve ser 80% de base vegetal porque é, sem dúvida alguma, a mais saudável e a mais nutritiva para o nosso organismo. No entanto, se pensarmos sob um ponto de vista mais espiritual é claro que eliminar da nossa vida o factor de sofrimento animal, tal como eliminamos as substâncias tóxicas que vêm da nossa alimentação (como conservantes, adoçantes ou aromatizantes), nos trará menos estresse oxidativo e maior equilíbrio a nível de corpo e mente. No fundo atingimos um nível de bem-estar maior pois eliminamos esse factor subconsciente de culpa.

Vegnutri: Para muitos que estão em transição ou que já são veganos, com uma alimentação vegetariana, sem nada de origem animal, surgem dúvidas sobre possíveis deficiências nutricionais para o organismo ou a dificuldade em relação à variedade do que se pode comer. O que você explica para as pessoas que ainda acreditam nesse mito?

Mafalda: Eu tento sempre explicar que uma alimentação saudável será sempre uma alimentação completa, variada e equilibrada. Explico sempre também que uma suplementação só será necessária em casos de debilidade ou fragilidade do organismo e que nós conseguimos obter todos os nutrientes de que precisamos através dos alimentos. É certo que, inicialmente, será necessária uma consciência maior sobre as combinações de alimentos e sobre as quantidades que ingerimos. É isso mesmo que explico nas minhas consultas. Mas, ao longo do tempo, as pessoas ganham hábitos saudáveis que ficam para a vida, hábitos esses que permitirão manter uma alimentação sem deficiências nutricionais e talvez até mais rica em micronutrientes do que estaríamos à espera. Esse é também o mote do meu livro novo, ¨Superalimentos – refeições com mais vida¨. Um livro que fala dos alimentos com propriedades nutricionais e antioxidantes espectaculares para o organismo e que, inseridos numa alimentação saudável, nos podem ajudar a prevenir inúmeras doenças como problemas de pele, debilidade mental ou até mesmo alguns tipos de cancro.

Workshops em Portugal:

Mafalda Rodrigues de Almeida – Nutricionista e Mestre em Políticas Alimentares. Criadora do blog Loveat voltado para a divulgação de receitas, exercícios, espaços, lugares e muitas outras dicas para uma vida mais saudável.

Facebook:  Loveat

Email: loveatthekitchenbrand@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *