Youtubers pró-veganismo são mania entre jovens franceses

Os novos youtubers fenômenos na França são jovens e adeptos do veganismo. É o que conta uma matéria especial da Revista semanal M, do jornal Le Monde, e mostra como as redes sociais vêm tendo um papel diferenciado na conquista de novos adeptos contra a exploração animal.

“Eles não devem demorar, nós vamos conseguir fazer nossa selfie”, alegra-se uma menina, conta a revista semanal M.

“O pequeno grupo de moças reunidas no [espaço cultural] Centquatre, em Paris, não esperam Justin Bieber ou Robert Pattinson, mas Gurren VeganJihem Doe. Desconhecidos do grande público, estes dois youtubers veganos causaram furor no Salão Veggie World, importado da Alemanha, que reuniu sete mil pessoas esta primavera em Paris”, escreve a revista.

“Cada vídeo que eles postam na rede social é um evento para seus 20 mil seguidores. Entre eles, vegetarianos em transição e adeptos do veganismo, um modo de vida que bane todo produto derivado da exploração animal, seja a carne, o peixe, os ovos, os produtos do leite, mas também o couro ou a lã”, explica o periódico.

“Humor, cenas de clássicos revisitadas … Longe das imagens chocantes dos abatedouros, os youtubers colocam em cena vídeos de humor corrosivo em prol de sua causa: banir todos os produtos de origem animal. Uma nova forma de militância que visa, como prioridade, um público entre 18 e 35 anos”, publica a revista M.

Revisitando clássicos em defesa dos animais

Montagem dinâmica, incorporação de trechos de filmes, clips e gifs animados, trilha sonora, locuções: “o veganismo chega a um novo público”, conta a revista.

“Assim, quando Jihem aborda seu regime alimentar, ele ilustra suas ideias com uma cena cult do filme francês Les Visiteurs [1993]: ‘Onde estão as galinhas, os cozidos, os salsichões? “’.

E para terem certeza de provocarem buzz, estes mestres em punchlines – frases de efeito que as redes sociais adoram – organizam as chamadas “débunkages”, ou seja, exercícios que consistem a retomar declarações públicas para mostrar no que estão erradas”, conta a matéria da revista M.

Uma das vítimas desta estratégia foi a também youtuber Morgane Enselme, que fez um vídeo explicando porque ela havia voltado a comer carne após dois anos. “Guerren replicou com o vídeo Continuo vegan, que teve mais de 400 mil visitas”, explica o periódico.

“O humor é apenas um facilitador que nos ajuda a passar ideias, um truque para entrar na cabeça das pessoas, porque nossos assuntos não têm nada de engraçado, na verdade: três milhões de animais são mortos todos os dias em abatedouros franceses”, publica a revista, citando o youtuber Gurren Vegan, morador de um vilarejo perto dos Alpes franceses.

“Mesmo se seu número de seguidores está longe de estrelas do youtube, seu sucesso deve ser medido de acordo com o número de adeptos do veganismo na França, estimado em menos de três milhões de pessoas”, publica. “O combate dos vegans está apenas começando”, finaliza a revista M.

Fonte: As Vozes do Mundo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *