Cogumelos: surpreendentes fontes de proteínas

Vegetarianos e veganos, muitas vezes, deparam-se com o dilema de como ingerir quantidades suficientes de proteínas. Pensando nisso, é hora de falarmos um pouco dos cogumelos, tão bem usados em vários países e, atualmente, mais presentes em algumas receitas brasileiras, enriquecendo os pratos com muitas proteínas, vitaminas e muito sabor. Conheça mais sobre os seus benefícios:

Os cogumelos comestíveis

O cultivo de cogumelos é milenar. Gregos, romanos e chineses já plantavam o alimento há mais de 1500 anos. Desde essa época os produtores aprenderam a cultivar e diferenciar os cogumelos comestíveis, os venenosos e os medicinais. É preciso estar atento, pois nem todos os cogumelos podem ser inseridos na alimentação.

Estima-se que existam mais de 4500 espécies de cogumelos. Seu cultivo é uma tarefa razoavelmente fácil, pois necessita apenas de alguns cuidados em relação à temperatura, à umidade e à ventilação. Como é muito sensível, o cogumelo cresce forte a uma temperatura entre 20ºC e 24ºC, com umidade de 70% a 80%. Precisa também de ventilação para evitar o acúmulo de gases venenosos que o próprio fungo desprende.

Proteínas no cogumelo

Os cogumelos são altamente ricos em proteínas, sais minerais, ferro, vitaminas B1 e B2, cálcio, fibras e outros elementos que beneficiam a saúde. Por isso, os cogumelos comestíveis vêm ganhando espaço de destaque na alimentação.

Eles não são enquadrados nos grupos de vegetais, verduras ou legumes, mas sim na categoria de fungos. Em países da Europa e da Ásia, onde são muito populares, eles são conhecidos como “carne vegetal”, devido a alta concentração de proteína presentes.

Qualquer tipo de cogumelo pode ser consumido de duas a três vezes por semana, pois, além das proteínas, também contém nutrientes que estimulam o desenvolvimento do sistema imunológico. Mas para quem está consumindo cogumelos aliados a alguma dieta, deve evitar o excesso de molho shoyo, que muitas vezes é usado  para temperá-los por ser rico em sódio, mineral que pode provocar retenção de líquido e ainda favorecer a hipertensão.

Benefícios dos cogumelos

O cogumelo é um alimento presente na alimentação cotidiana dos japoneses, conhecidos pela sua longevidade e qualidade de vida saudável. Além de possuirem baixo teor de gorduras e carboidratos, contém vitaminas do complexo B, essenciais na saúde mental e emocional; proteínas, que ajudam na manutenção dos tecidos e fósforo, fundamental para os ossos e os dentes.

Por apresentarem altos teores de ácido fólico, os cogumelos previnem doenças cardiovasculares e degenerativas, como mal de Alzheimer, e são importantes no tratamento complementar de câncer, lúpus, hepatite. Os cogumelos também são ótimos aliados para quem está em busca de emagrecimento, pois apresentam muitas fibras e baixo valor calórico, porém, devidamente sendo consumidos aliados a uma dieta equilibrada.

Da natureza para a cozinha

Entre os mais conhecidos estão:

Shiitake:

shitake

Apresenta coloração escura e píleo (aquele “chapeuzinho”) largo. Bom para saladas, massas, molhos e risotos. Possui em particular a capacidade de reduzir os níveis de colesterol no sangue, devido a substância eritadenina. É rico em lentinan (lentinula), que não só ajuda no reforço do sistema imunitário como também promove a atividade anti-cancerígena.

Numerosos estudos realçam essas capacidades anti-cancerígenas dos cogumelos Shiitake, demonstrando diversos efeitos que vão desde a redução e abrandamento do crescimento até à regressão e mesmo um aumento da atividade no combate à proliferação do tumor.

Tais estudos citaram a Lentinula (lentinan) – uma forma de beta-glucano – como a chave para isso, ajudando a ativar determinadas células e proteínas que atacam o câncer. O seu uso está muito ligado à ajuda contra tumores gástricos.

Foi demonstrado que há uma redução significativa das tromboses – formação de coágulos de sangue que impedem a circulação sanguínea – por indivíduos que consomem regularmente óleo de cogumelo Shiitake. O Departamento de Agricultura e Química Biológica da Universidade de Nihon, no Japão, demonstrou que o nível de lantionina (lenthionine) encontrado nos cogumelos Shiitake inibe a agregação de plaquetas.

Shimeji:

cogumelo-shimeji

Nas cores preto e branco, tem um píleo menor. Fica muito saboroso quando grelhado. Fonte de vitaminas e minerais, entre eles o potássio, importante no controle da pressão e usado no processo de contração muscular.

Funghi:

funghi-seco

De origem italiana, esse tipo é bastante utilizado em massas, risotos e molhos. O termo significa cogumelo em português e é popularmente conhecido como funghi secchi ou cogumelo seco. É rico em vitamina B2, que ajuda a converter carboidrato e gorduras em energia disponivel para qualquer atividade física, além de possuir antioxidantes.

Champignon de Paris:

cogumelo-paris

O tipo mais consumido no mundo é também o mais popular no Brasil. Pode ser ingerido fresco ou em conserva. Apresenta coloração branca e fica perfeito em estrogonofes e saladas. Item clássico dos estrogonofes veganos, rico em proteína, vitamina C e minerais como ferro, cobre e zinco.

Portobello:

cogumelos-na-brasa-0003

De cor parda, tem textura mais rígida que o champignon e aroma levemente pronunciado. Bom consumido fresco e com o chapéu aberto em massas.

A escolha certa: Antes de comprar, verifique se o cogumelo está firme e com coloração forte, sem manchas escuras na superfície.Na hora de lavar, esfregue-o levemente com uma toalha de papel umedecida, enxágue e não o deixe de molho em água, pois fica encharcado e sem sabor. Ao cozinhar, corte os talos.

Os cogumelos são excelentes fontes proteicas e ainda muito saborosos. Conhece alguma receita especial? Envie e poderá vê-la publicada.

Fontes:

Site M de Mulher

Site Dieta Ja

Blog do Bem Estar

Treinos e Suplementos

Dicas de receitas:

Panqueca de inhame sem glúten e com recheio de cogumelos

Hamburguer vegano com shitake

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *