Governo de estado brasileiro proíbe corridas de cachorros galgos

O governador Eduardo Leite assinou, nesta quarta-feira (10), um decreto que proíbe a realização de corridas de cachorros galgos no Rio Grande do Sul. Além da medida, o Palácio Piratini enviou um projeto semelhante à Assembleia Legislativa, para conferir maior segurança jurídica à decisão.

O texto prevê punição em caso de descumprimento da ordem. As sanções possíveis são advertência, multa, apreensão dos animais ou de objetos, embargo de obra ou atividade, demolição de obra e suspensão parcial ou total de atividades. O decreto também proíbe extermínio, maus-tratos, mutilação e manutenção de animais domésticos de estimação em cativeiros.

A prática foi denunciada pela RBS TV, em reportagem exibida pelo Fantástico, da Globo, no dia 17 de janeiro. A equipe flagrou cães em situação de maus-tratos e abandono em canchas de cidades da Região da Fronteira.

No ato em que assinou o decreto, Leite destacou a rápida resposta do poder público após a repercussão do caso. Autoridades e ativistas da causa animal participaram da cerimônia.

A coordenadora do grupo Galgo Livre Brasil classificou as corridas como uma “crueldade bizarra”. Juscelita Noetzold afirmou que o próximo passo é a proibição das competições nacionalmente.

Atuante em ações de proteção aos animais, a secretária de Trabalho e Assistência Social, Regina Becker, saudou a iniciativa e pediu que o governo também analise a questão dos cavalos utilizados em carroças.

Fonte: G1

Imagem: Reprodução/RBS TV

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *