Novo tipo de poluição por plástico é descoberto em ilha portuguesa

Uma equipe de especialistas descobriu um novo tipo de poluição presente em superfícies rochosas da ilha da Madeira, em Portugal. O material é uma potencial ameaça aos organismos que vivem e se alimentam nas rochas e pode ser outra maneira pela qual o plástico entra na cadeia alimentar.

(FOTO: IGNACIO GESTOSO)

“As crostas provavelmente se originaram do encontro de grandes pedaços de plástico com a costa rochosa, resultando em crostas de plástico nas pedras [como ocorre] de forma semelhante às algas ou líquens”, disse o ecologista marinho Ignacio Gestoso.

O assunto ainda requer muitas pesquisas, mas os especialistas calculam que a “plasticrosta”, como foi apelidada, já cobre 10% de algumas superfícies rochosas da região. Além disso, análises químicas revelaram que o material é feito de polietileno amplamente utilizado, encontrado em sacolas plásticas e embalagens de alimentos, por exemplo.

EQUIPE DESCREVEU APARÊNCIA E TEXTURA DE MATERIAL COMO ALGO SEMELHANTE ÀS GOMAS DE MASCAR (FOTO: IGNACIO GESTOSO)

 

Há uma espécie de caramujo que se alimenta de algas e que não parece se importar muito com a presença do material: os moluscos eram quase tão abundantes nas superfícies plásticas quanto nas superfícies normais. Para os especialistas, isso sugere que esses animais não evitam a “plasticrosta”, mas se alimentam de algas presentes nela, o que resulta na ingestão acidental de plástico.

“Como pesquisador ecologista marinho, eu preferiria reportar outros tipos de descoberta, e não um artigo descrevendo essa triste nova forma de poluição plástica”, lamentou Gestoso. “Infelizmente, a magnitude do problema é tão grande que poucos lugares estão livres da poluição por plásticos.”

Leia o artigo em inglês aqui.

Fonte: Revista Galileu

Imagem capa: Revista Galileu/(FOTO: IGNACIO GESTOSO)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *