PROTESTE encontra inseto inteiro e morto em café

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Os testes foram feitos com base no regulamento técnico da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (RDC14/2014)
No dia 17 de agosto, a PROTESTE – Associação de Consumidores – divulgou os resultados da primeira fase dos testes de segurança alimentar que, infelizmente, não foram totalmente satisfatórios. Nesta primeira etapa, em que foram realizados testes com amostras de pó de café e com farinha de trigo, a Associação encontrou desde pelo de roedor a inseto morto.
Os testes foram feitos com base no regulamento técnico da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que estabelece os requisitos mínimos para avaliação de matérias estranhas macroscópicas e microscópicas em alimentos e bebidas, assim como seus limites de tolerância. Ou seja, segundo a legislação, cada produto pode trazer certa quantidade de corpos estranhos:
• Café: máximo permitido : 60 fragmentos de insetos em 25g de amostra

• Farinha de trigo: máximo permitido: 75 fragmentos de insetos em 50g de amostra

Para verificar a presença de matérias estranhas, como ácaros, pelo de roedor e insetos, fossem elas visíveis ou não a olho nu, a PROTESTE levou oito marcas ao laboratório, sendo elas quatro de café e quatro de farinha de trigo.

De acordo com os resultados, as marcas Caboclo e Pilão não apresentaram matérias estranhas macroscópicas e nem microscópicas. O café 3 corações apresentou 15 fragmentos de insetos em 25g de amostra, mas está de acordo com a legislação.

No entanto, a marca Mellita revelou a presença de 13 fragmentos de insetos e 1 inseto inteiro morto em 25g de amostra, não estando assim de acordo com a legislação que não prevê a presença de insetos inteiros mortos. Isso mostra que pode ter havido falhas no processo de produção, manipulação ou armazenamento do produto.

Já as amostras de farinha de trigo das marcas: Renata (que apresentou 33 fragmentos de insetos em 50g de amostra), Dona Benta (que apresentou 3 fragmentos de insetos em 50g de amostra) e Rosa Branca (que apresentou 5 fragmentos de insetos em 50g de amostra) estão de acordo com a legislação.

Porém, a amostra da marca Sol revelou a presença de 25 fragmentos de insetos e 1 fragmento de pelo de roedor em 50g de amostra, sendo assim, não está de acordo com a legislação, por conter pelos de rato. Segundo a legislação, os pelos de roedores (que incluem rato, ratazana e camundongo) são potenciais transmissores de doenças.

Embora para alguns produtos o regulamento da Anvisa seja tolerante em relação à presença de pelo de roedor, como é o caso do ketchup (1 fragmento em 50 g do alimento), essa regra não se aplica à farinha de trigo: de acordo com a legislação, é permitido que existam 75 fragmentos de insetos em 50g.

Diante dos resultados do teste, a PROTESTE requer dos órgãos fiscalizadores que os produtos em desacordo com a norma sejam retirados do mercado e pede que seja feita uma revisão na Resolução 14 da Anvisa, por considerá-la excessivamente complacente.

Fonte: Proteste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *